sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Cortar ou não a orelha



        Existem veterinários que defendem esta modalidade, pois evita doenças, já outros como a Doutora Júlia Maria Matera da USP fala sobre este equívoco: "A cirurgia gera um sofrimento para o animal e, além de não ter nenhum benefício, pode ser feita de forma inadequada. Com o corte de orelha você expõe o conduto auditivo do cão e tira a proteção dele”. Eu já tive vários boxers, nunca deixei cortar a orelhinha de nenhum deles, para mim eles são bonitos de qualquer jeito, quando ele quer entender uma coisa diferente  ai então o movimento da orelha é muito engraçado.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Boxer legítimo e suas medidas I



Eu não sou daqueles que deseja ter o Boxer perfeito, mas existe muitas e muitas regras para que um boxer seja considerado legítimo, veja algumas delas abaixo:

ORIGEM: Alemanha

FUNÇÃO ZOOTÉCNICA: Cão de Companhia, Proteção e Utilidade.
APARÊNCIA GERAL: O Boxer é um cão médio, de pelo curto, forte, com estrutura curta, quadrada, de ossatura forte. A musculatura é fina, vigorosamente desenvolvida. Com movimentos vivos, poderosos e nobres. O Boxer não deverá ser desajeitado nem pesado, nem ligeiro ou com falta de substância.


PROPORÇÕES IMPORTANTES:
COMPRIMENTO DO CORPO/ALTURA À CRUZ: Estrutura quadrada, isto é, as linhas delimitantes (uma horizontal ao dorso e duas verticais que tocam a ponta do ombro e a ponta do ísquio respectivamente) devem formar um quadrado.
PROFUNDIDADE DO PEITO/ALTURA À CRUZ: O peito deve chegar aos codilhos; a profundidade do peito corresponde a metade da altura à cruz.
COMPRIMENTO DO FOCINHO/COMPRIMENTO DA CABEÇA: O comprimento da cana do nariz em relação ao comprimento do crânio deve ser de 1 para 2 (medido da ponta do nariz até ao ângulo interior do olho e desde o ângulo interior do olho ao occipital, respectivamente).


COMPORTAMENTO E CARÁCTER
O Boxer deve possuir nervos sólidos, ser confiante, tranquilo e equilibrado. O seu carácter é da máxima importância e requer uma consideração especial. O seu apego e lealdade ao dono e a todo o agregado familiar, bem como a sua vigilância e valentia inigualáveis como defensor são reconhecidos. É inofensivo para a família mas desconfiado perante estranhos; alegre e amigável enquanto brinca mas temível nos momentos de perigo. É fácil de educar, graças à sua disposição natural para obedecer, instinto de presa e coragem, inteligência natural e capacidade olfativa. Pouco exigente e asseado, é tão agradável e apreciado no círculo familiar como o é como cão de proteção e utilidade. O seu carácter é fidedigno, sem falsidades nem malícia, mesmo numa idade avançada.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Texto sobre o boxer




Por Herr Philip Stockman.

No começo da Criação, no Sexto dia, depois que o Céu e a terra haviam sido criados, Deus criou os animais de todas as variedades e para todas as finalidades possíveis para habitar a Terra. E criou o homem para que reinasse sobre os animais. Mas, para que o homem não ficasse só entre os animais, ele criou os cães, de diversos tipos, de modo que todo homem pudesse escolher seu companheiro predileto - pequeno ou grande - Alto ou baixo, marrom, preto, branco, malhado ou tigrado, com pêlo comprido ou curto. E Deus viu que eles eram tão bons. Tão bons que Ele disse ‘Vou fazer um cão superior, um que esteja acima de todos os outros, que possuirá a beleza, a força, a velocidade e a coragem sutilmente mescladas à lealdade, à nobreza, à vigilância e à amabilidade’.


    Então Ele pegou o barro mole e com ele moldou o cão ideal na forma do boxer, exceto pelo focinho, que como nos outros cães, era sensível e elegante, a suprema perfeição em matéria de focinho. Quando o colocou para secar, Deus estava satisfeito e disse ‘Este é de fato o cão perfeito’.


    Embora o boxer ainda não estivesse endurecido, já estava pronto em todos os outros aspectos e ouviu o que Deus dissera a seu respeito, enchendo-se de orgulho. Assim, enquanto seguia o seu caminho, disse aos outros cães ‘Eu sou o cão perfeito, porque ouvi isso de Deus. Olhem para mim e terão de admitir que sou melhor do que vocês’. Os cães pequenos concordaram no ato; os cães de tamanho médio, embora não totalmente convencidos, não estavam preparados para discutir o assunto; já, os cães grandes ficaram decididamente irritados, pois não eram eles maiores e mais fortes do que o boxer? E eles deixaram o fato bem claro, escarnecendo do boxer pelo seu tamanho, até que, irado, o boxer lançou-se sobre o maior de todos.
    Mas ai! Ele havia se esquecido de que ainda não estava seco e seu magnifico focinho, a suprema perfeição dentre os focinhos, ficou amassado, sua cara lisa ficou toda enrugada e ele, ao dar-se conta do ocorrido, ficou muito preocupado .
    E então, Deus, que tudo vira, sorriu e disse ‘Porque você é o Meu predileto, receberá como único castigo, aquele que você mesmo já se deu. Terá de usar para sempre essa cara, do jeito que você a fez ficar hoje’.
    Tal história é verdadeira e não há como pô-la em questão, pois até hoje o boxer é muito amável com os cães pequenos, e incapaz de machucá-los, mas jamais perdoou os grandes e, quando provocado, ataca-os com muita fúria.
Qualquer pessoa que tenha partilhado a vida com um boxer compreenderá perfeitamente por que é ‘o favorito de Deus’.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Segredos do Boxer - Timidez

Um cão boxer pode apresentar uma extrema timidez, se isto acontecer com ele ainda filhote, você deve sempre que possível leva-los a lugares públicos onde tenham outros animais para que ele se socialize. Se você for treiná-lo , lembre de colocá-lo em locais silenciosos e aos poucos pode ir aumentando os níveis de distração. Lembre que um animal tímido pode se reverter em agressividade por falta de socialização.

terça-feira, 23 de março de 2010

Segredos dos Boxer - Hiperatividade

Todos os boxer são muito hiperativos, eles precisam de exercício ou ficarão muito excitaveis e destrutivos. Brinque , mas brinque muito com eles, de um tempo extra para ele , principalmente se você mais tarde vai deixar ele muito tempo sózinho. Deixe ele cansado com longas caminhadas ou bastante tempo correndo atras de alguma bolinha (eles adoram). Boxer é muito inteligente e forte , você não quer um cachorro chateado desse com sua mobília ou seu sapato.

domingo, 14 de março de 2010

Boxer - Latidos


O boxer não tem tedência a latir muito, ele geralmente começa a latir se alguem para defronte a porta ou portão. A princípio ele não late para pessoas que estão passando ou cães que não fiquem confrontando-os. Eles geralmente aguardam um invasor chegar perto do seu domínio , mas se ele atravessar com alguma parte do corpo seu território, o invasor pode ter sérios problemas.


Se ele começar a latir por qualquer coisa não de reforço positivo, como por exemplo ir verificar o que esta acontecendo, pois ele pode acreditar que é isso que você quer, ai ele vai querer te agradar sempre latindo muito.


Eu tenho uma boxer que até os dois anos ela se comportava muito bem , latia somente o necessário, parecia que tinha sido treinada (isso é intrinseco neles) , ai adotamos uma black retrivier que passou a ser sua irmãzinha, começaram os problemas, a black retrivier latia muito e a boxer começou a imitá-la.


Hoje estou conseguindo diminuir os latidos, mas tive que conter a black retrivier primeiro, para que a boxer entende-se.





domingo, 28 de fevereiro de 2010

Deixe seu boxer socializado e tenha este resultado.

Melhor alimentação para seu boxer.


Tipos de comida que você deve fornecer para seu boxer:

Frango, Peru, Bovinos e Peixes (Evitar suinos). Vegetais Frecos e frutas eventualmente. Aveia , Arroz , ovos , yogurt , queijo magro.

Não esquecer de colocar fibras em sua alimentação.

Ração , verifique se esta ração contém carne suina, as vezes elas não são mencionadas (esta escrito "Carne" sem nehuma espeficicação) .

Evitar sempre chocolate, doces , muita gordura, comida muito quente , muito alho e muita cebola.

sábado, 12 de setembro de 2009

Boxer - Treinamento com comunicação oral.

Os boxers podem entender muitas palavras humanas, você pode criar um repertório completo para efetuar o treinamento. Os boxer tendem a filtrar as palavras mais curtas e importantes que tentamos ensina-los, pois a percepção do som que eles tem é muito diferente da nossa. Para que um boxer entenda os comandos verbais , utilize sempre palavras curtas como:"Não", "Senta" etc. No máximo com duas sílabas, pois para eles este som contem muito mais informação do que nós podemos perceber. Portanto quanto mais curta a palavra mais facil deles entenderem. Algumas pesquisas mostram que eles podem guardar um repertório de 200 palavras, o que é mais do que suficiente para treinar um animal.

domingo, 26 de julho de 2009

Boxer - Treinamento comandos com a mão.





Seus movimentos são importantes para seu cachorro.Indicações visuais assim como comandos manuais são muito eficentes em treinamento de cachorros (este é um tremendo plus quando se trata de cachorros que não ouvem bem). Sinais visuais e sons tem o mesmo efeito no cachorro,Usando sinais visuais no treinamento , ele fica mais consistente. Por exemplo se você resolver tocar seu queixo para um comando de sentar ,não adianta depois ficar gritando para que seu cachorro sente.

terça-feira, 30 de junho de 2009

Boxer - Comunicação Visual

Pesquisas tem mostrado que cães são extremamente visuais.Eles são estimulados pelo que esta em seu perimetro visual. Isto é sentido sem surpresas por donos de Boxers que eles percebem a atenção de tudo que se mexe, seja carro, moto, bicicleta ou outros. Boxer procuram e respondem a estimulos visuais, pois isto é muito significativo para a linguagem dos cães. Eles percebem através de nossos olhares nossos sentimentos e nosso desejo e tentam responder a eles. Se você olhar fixamente um boxer. provavelmente ele vai ficar muito nervoso e não saberá o que fazer. Portanto exercite a comunicação visual com seu amigo e melhore o entendimento entre vocês.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Boxer - História



O primeiro aparecimento de exemplares da raça foi em 1895, por amabilidade do Clube Alemão do São Bernardo que permitiu, durante uma exposição monográfica da raça, a exibição de alguns exemplares de Boxer: Contudo, no início não se alcançou o êxito desejado, no intuito de melhorar e popularizar a raça.
Ganhou "Múhlbauers Flocki", filho de "Tom" um Bulldog branco, propriedade do Dr Toenniessen e da fêmea Bierboxer (moderno Bullenbeisser) "Alt's Schecken", filha de "Alt's Flora", uma fêmea tigrada levada para a Alemanha a partir do sul da França em 1887 por George Alt, natural de Munique. "Flocki" seria o primeiro Boxer inscrito no Livro de Origens.
Em 17 de Janeiro de 1896 seria fundado na cidade de Munique (capital da Baviera) o clube alemão da raça, o Boxer Klub Sitz Münche, e dois meses mais tarde, a 29 de Março, organizava-se a primeira exposição monográfica, actuando como juíz Elard König.
Em 1902 fixaram-se, de forma provisória, as primeiras bases raciais, sendo publicado em 1904 o primeiro Livro de Origens (Zuchbuch), registo genealógico da raça, ao mesmo tempo que surgia o "Boxer Blatter, boletim do clube onde era publicado o primeiro estalão oficial.
Durante estes anos de início na criação e selecção apareceram certas controvérsias, entre o cada vez mais numeroso grupo de aficionados, em relação à estrutura que o Boxer deveria ter: havia quem preferisse o tipo semelhante ao Bulldog clássico; outros, pelo contrário, inclinavam-se mais para o tipo do antigo Bullenbeisser; por último, havia os que aspiravam a um cão diferente, mais evoluído e elegante. Finalmente, o clube inclinou-se por esta última versão e esse foi o seu ponto de referência até aos nossos dias.
É curioso observar como a cor branca foi dominante nos primeiros anos de história da raça, altura em que o conceito de funcionalidade primava em relação a outros factores, chegando inclusivé a ser permitido que o branco ocupasse a maior parte do manto do cão com a intenção de não afastar da criação, exemplares que pudessem fornecer outra série de características interessantes. Pouco tempo depois (anos 1925 e 1926), o clube efectuou uma série de revisões no estalão e começou a tentar a sua eliminação através duma intensa selecção, meta que ainda não foi totalmente atingida pelos criadores de Boxer, uma vez que ainda continuam a nascer cachorros brancos.
Depois da II Guerra Mundial, o Boxer é já uma raça popular nos cinco continentes, com um altíssimo nível de criadores em países como a Alemanha, Holanda, Itália, Estados Unidos, etc. Durante este período a raça vive os seus melhores momentos, graças à homogeneidade conseguida no tipo dos exemplares. Em 1950 nasce na cidade de Strassbourg a ATIBOX (Associação Técnica Internacional do Boxer) cuja finalidade é a manutenção dum estalão morfológica e psiquicamente, belo e funcional, marcando as directrizes a seguir na criação e evolução da raça, com critérios uniformes para os diferentes países. Esta associação agrupa todos os clubes de Boxer a nível mundial e celebra anualmente uma assembleia geral na qual se encontram representados todos os seus filiados. Além disso, organiza uma exposição de beleza e um campeonato de trabalho.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Boxer - Alimentação e a pele.




A alimentação pode, pela sua qualidade, influir sobre numerosos órgãos e de maneira particular sobre a pele. Um desequilíbrio alimentar pode provocar perturbações cutâneas, alterar a qualidade da pele e do pelo, seja de maneira directa por carência, seja indirectamente por excesso ou desequilíbrio ao nível do fígado e do intestino.

EXCESSO DE PROTEÍNA:Sobretudo desde que sejam proteínas pouco digestíveis provenientes de tendões, ossos ou cartilagens, podem provocar diarreias, produzindo-se um fenómeno de decomposição ao nível do intestino. Daí a libertação de factores tóxicos para o fígado e os problemas de dermatose secundária.

AMIDO CRU, MAL COZIDO OU EM QUANTIDADE EXAGERADA:Provoca fermentações intestinais, aumenta a libertação de compostos tóxicos e consequentemente uma sobrecarga hepática. Fenómenos de alergia podem então manifestar-se.

ALGUMAS SUBSTÂNCIAS NECESSÁRIAS A PELE:Vitamina “A” - Essencial à pele; factor cicatrizante. É libertada no organismo a partir do fígado que a armazena; a sua libertação depende da taxa de zinco e de cálcio; uma carência de zinco ou o excesso de cálcio condiciona a sua circulação.Vitamina “E” - Assegura a estabilidade da vitamina “A” aumentando assim a sua eficácia.Vitamina “B” - Em especial a vitamina “B6”; a taxa de vitamina “B6” incluída na alimentação deve ser aumentada em função da taxa proteica. A vitamina “B6” é destruída pelo calor.Ácidos Aminados Saturados - Protectores hepáticos.

Ácidos Gordos - A sua carência pode ocasionar o endurecimento da pele, uma pigmentação anormal e que das de pelo.Sais Minerais: Zinco - Frequentemente mal absorvido ao nível do intestino em função do excesso de cálcio na ração;Cobre - Intervém essencialmente na pigmentação e no brilho do pelo.Assim, como regra geral para evitar problemas cutâneos, é conveniente:- Não dar refeições demasiado volumosas mas concentradas;- Cozer bem a massa ou o arroz;- Conhecer a origem das proteínas;- Não recorrer sistematicamente a alimentos que possuam taxas proteicas demasiado elevadas;- Adicionar óleo vegetal à razão de uma colher por dia (óleo de milho);- Adicionar zinco (200 mg por dia);- Adicionar vitamina B.

domingo, 12 de abril de 2009

Boxer - Branco


Discriminação

Os Boxers brancos não são permitidos desde 1925, mas até hoje nascem mas ninhadas e não recebem pedigree. Há quem diga que são albinos e livros estrangeiros da raça alegam que, mesmo não sendo albinos, podem produzir filhotes com tal anomalia em duas ou três gerações, sendo esse o motivo da proibição.


A Raça nasceu branca

Vale dizer que o branco existe na raça pois ela nasceu – no final do século passado – da mistura do pequeno Bullenbeisser, antigo cão de caça que imobilizava a presa, com um Buldogue totalmente branco, cujo nome era Tom. Daí por diante a raça passou a ser oficialmente chamada de "Boxer" e inúmeros cães brancos nasceram e foram registrados, inclusive a primeira grande reprodutora, chamada Meta, que tinha apenas uma mancha tigrada na cabeça e uma pinta ao lado esquerdo do corpo. O resto era branco como neve. Seria então este "outro" motivo para proibi-lo, ou seja uma tentativa de tirar a influência do Buldogue? Não, isso não é, em momento algum, alegado na bibliografia da raça.