segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Texto sobre o boxer




Por Herr Philip Stockman.

No começo da Criação, no Sexto dia, depois que o Céu e a terra haviam sido criados, Deus criou os animais de todas as variedades e para todas as finalidades possíveis para habitar a Terra. E criou o homem para que reinasse sobre os animais. Mas, para que o homem não ficasse só entre os animais, ele criou os cães, de diversos tipos, de modo que todo homem pudesse escolher seu companheiro predileto - pequeno ou grande - Alto ou baixo, marrom, preto, branco, malhado ou tigrado, com pêlo comprido ou curto. E Deus viu que eles eram tão bons. Tão bons que Ele disse ‘Vou fazer um cão superior, um que esteja acima de todos os outros, que possuirá a beleza, a força, a velocidade e a coragem sutilmente mescladas à lealdade, à nobreza, à vigilância e à amabilidade’.


    Então Ele pegou o barro mole e com ele moldou o cão ideal na forma do boxer, exceto pelo focinho, que como nos outros cães, era sensível e elegante, a suprema perfeição em matéria de focinho. Quando o colocou para secar, Deus estava satisfeito e disse ‘Este é de fato o cão perfeito’.


    Embora o boxer ainda não estivesse endurecido, já estava pronto em todos os outros aspectos e ouviu o que Deus dissera a seu respeito, enchendo-se de orgulho. Assim, enquanto seguia o seu caminho, disse aos outros cães ‘Eu sou o cão perfeito, porque ouvi isso de Deus. Olhem para mim e terão de admitir que sou melhor do que vocês’. Os cães pequenos concordaram no ato; os cães de tamanho médio, embora não totalmente convencidos, não estavam preparados para discutir o assunto; já, os cães grandes ficaram decididamente irritados, pois não eram eles maiores e mais fortes do que o boxer? E eles deixaram o fato bem claro, escarnecendo do boxer pelo seu tamanho, até que, irado, o boxer lançou-se sobre o maior de todos.
    Mas ai! Ele havia se esquecido de que ainda não estava seco e seu magnifico focinho, a suprema perfeição dentre os focinhos, ficou amassado, sua cara lisa ficou toda enrugada e ele, ao dar-se conta do ocorrido, ficou muito preocupado .
    E então, Deus, que tudo vira, sorriu e disse ‘Porque você é o Meu predileto, receberá como único castigo, aquele que você mesmo já se deu. Terá de usar para sempre essa cara, do jeito que você a fez ficar hoje’.
    Tal história é verdadeira e não há como pô-la em questão, pois até hoje o boxer é muito amável com os cães pequenos, e incapaz de machucá-los, mas jamais perdoou os grandes e, quando provocado, ataca-os com muita fúria.
Qualquer pessoa que tenha partilhado a vida com um boxer compreenderá perfeitamente por que é ‘o favorito de Deus’.

3 comentários:

Diogo Dora disse...

Que historia tão linda e tão verdadeira

Claudia disse...

sem duvida o boxer é tudo de maravilhoso , tenho um e nao troco por nada

Ariel Coelho de Souza disse...

Tenho uma Boxer que é maravilhosa, companheira. Pra mim é uma das melhores raças, principalmente pra lidar com crianças.